Quer trabalho? Volte à escola!

Quer trabalho? Volte à escola!

Paulo Silvestre

16 de março de 2020 | 09h23

Com o avanço do coronavírus, cada vez mais empresas estão adotando o home office e escolas estão suspendendo suas aulas para evitar o contato social, em uma tentativa de conter o contágio. Mas, a despeito de praias lotadas nesse domingo, não são férias!

Muita gente se depara com um novo tempo livre, nem que seja por escapar das horas no trânsito. Cada um encontra o que fazer com isso.

Que tal voltar a estudar?


Saiba mais sobre esse assunto no vídeo abaixo:


Seguindo o IBGE, 2019 terminou com 11,6 milhões de desempregados no Brasil, apenas 300 mil a menos que no ano anterior. Além deles, havia 4,6 milhões de desalentados, pessoas que simplesmente desistiram de procurar emprego depois de muito tentar. A situação só não é mais dramática porque a informalidade ajudou: são 38,4 milhões de brasileiros nessa situação, que representa empregos de baixa qualidade.

Se já não bastasse isso, há o temor de que seu emprego desapareça porque a função terá sido substituída por um robô. E não se engane: o que puder ser automatizado será! Aliás, isso já está acontecendo.

 

 

Precisamos aprender coisas que ainda não sabemos! Temos que conviver com as pessoas de uma maneira mais colaborativa, empática, construtiva, observar o mundo com outros olhos! Até porque, dessa forma, nós mesmos poderemos criar novos trabalhos.

Por exemplo, da lista das

, dois terços delas simplesmente não existiam há apenas uma década. Em quantas delas você poderia atuar? Quantas dessas você sabe o que é?!?!

A boa notícia é que dá para entrar em muitas delas com um pouco mais de estudo a partir de muitas “profissões convencionais”. Talvez muitas deles você já tenha.

Mas, de novo, precisamos de pessoas capacitadas para essa tarefa. Uma boa faculdade e falar inglês já não resolvem. E, à medida que o tempo passa, mais dramática a “obsolescência profissional” fica.

Mas então o que estudar? E onde?

Nessas horas, uma instituição de ensino e profissionais de grande reputação fazem uma enorme diferença. Quanto aos formatos, temos para todos os gostos. Cada um deles tem suas características, vantagens e desvantagens.

Por exemplo, mestrados e doutorados são as melhores opções para quem busca criar algo novo, desenvolver uma visão refinada de sua área de conhecimento. Infelizmente, são longos e caros, duas coisas que afastam muita gente. O que é uma pena, pois são cursos incríveis, para formar profissionais realmente diferenciados!

A seguir, vêm as especializações e os MBAs, que criam um profissional com capacidades analíticas ampliadas no seu segmento. Por isso, são muito valorizados pelo mercado. Mas também duram de um a dois anos.

Para quem não tem tanto tempo ou dinheiro para investir, há excelentes opções em cursos livres e cursos de extensão. Hoje encontramos cursos muito consistentes de dez horas, por exemplo! Eles ensinam uma coisa pontual, claro. São ótimos para incrementar alguma habilidade ou, talvez, suprir uma deficiência. Cursos de extensão, um pouco mais longos, de 30 a 40 horas, permitem uma visão mais ampla de um tema específico, com conteúdos atualizados e de aplicação imediata no cotidiano profissional. Permitem ainda que os alunos, que já são profissionais, façam um ótimo networking. Isso traz vários ganhos, especialmente para aqueles com mais tempo de carreira, que têm contato com “conteúdos frescos”.

Há, por fim, as mentorias, que podem ser feitas em grupos de profissionais ou de maneira individual. O mentor é um profissional de reconhecida experiência que ajuda a outros a se desenvolver e atingir um novo patamar. Uma vantagem importante é que o serviço é bem personalizado.

Portanto, por mais paradoxal que pareça, se você deseja garantir seu trabalho hoje e no futuro, pare de pensar no emprego e comece a pensar em você!

Ninguém está seguro! No primeiro momento em que a empresa achar que suas habilidades já não são mais suficientes ou seu cargo ficou anacrônico, será dispensado!

Além disso, sem querer fazer um trocadilho infame, um “pé na bunda” no trabalho pode ser o pontapé inicial para você criar uma nova carreira, muito melhor para você. Mas, só se você estiver bem preparado!

Com a crise do coronavírus, muitas escolas estão interrompendo suas aulas. Aproveite esse tempo para pesquisar os cursos que mais lhe atendem! As restrições a circulação logo vão diminuir. Esteja com sua matrícula feita quando isso acontecer!

Além disso, esse pode ser um ótimo período para fazer, por exemplo, mentorias, que podem ser presenciais ou online. Não há nenhuma restrição a isso! Aproveite as horas diárias que você ganhou do trânsito para desenvolver novas habilidades.

Precisamos assumir o protagonismo de nossas vidas! Temos que querer melhorar, por nós mesmos e por quem está a nossa volta.

E aí, vamos à escola?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: