Reflexão: o novo dono pode salvar a Abril?

Reflexão: o novo dono pode salvar a Abril?

Paulo Silvestre

24 Dezembro 2018 | 10h00

Logo da Editora Abril no seu edifício na Marginal Tietê

Na sexta, às vésperas do Natal, a família Civita acertou a venda da Editora Abril ao empresário Fábio Carvalho, especialista em recuperar empresas em crise. A Abril, no bico do corvo há anos, está em recuperação judicial desde agosto.

Com o valor da transação, dá para comprar um carro: R$ 100 mil. Carvalho assume as dívidas (cerca de R$ 1,6 bilhão), mas esse passivo deve encolher com negociações com os bancos, que precisam aprovar o negócio, assim como o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Espera-se que o negócio seja concluído até fevereiro.

Vejo com bons olhos a mudança. Primeiro porque os atuais Civita se demonstraram incompetentes para gerir o negócio criado pelo avô Victor Civita (1907-1990) em 1950, sendo os responsáveis por essa situação horrorosa. Depois porque Carvalho tem feito declarações interessantes sobre o futuro da mídia (leia em http://bit.ly/2T1Gtiq). Faço votos que ele salve a Abril.

É inevitável pensar em Jeff Bezos, dono da Amazon, que comprou, com US$ 250 milhões do seu bolso, o The Washington Post, e deu nova vida ao jornalão. Não mexeu na parte editorial, mas investiu e mudou seu modelo de negócios para melhor! Agora, se o negócio da Abril será um presente de Natal para os envolvidos, só o tempo dirá.