Super-herói precisa de Facebook?

Super-herói precisa de Facebook?

Paulo Silvestre

20 de novembro de 2019 | 16h21

Essa é para rir! Mas também podemos aprender algo.

Super-herói precisa de Facebook?

Joinville agora tem seu herói: o Escudo Negro! Ele se anunciou em um perfil na rede do Zuckerberg há alguns dias, com um post com vários erros grosseiros, como dizer que vai “atrás de maus feitores, criminosos, usuários, etc” e que seu “Rob é lutar contra o crime”.

Depois de ganhar notoriedade local, com cerca de 1.500 compartilhamentos e até vários usuários (eita!) se oferecendo como ajudante, o perfil saiu do ar. Ninguém sabe quem é o Escudo Negro, se ele continua na ativa ou se a repentina fama estragou seus planos.

Mas, quando soube dele, a primeira coisa que pensei é por que um herói precisaria de uma rede social. Alguém já imaginou o Batman no Twitter ou o Homem-Aranha no Instagram?

Não se sabe se foi uma brincadeira, ou golpe publicitário ou só um maluco, mas muita gente hoje vive em busca de exposição, para suprir diferentes carências. As redes sociais são ótimas para isso, mas alguns exageram na dose, e usam inadequadamente o recurso. E assim acabam matando uma boa ideia (não parece ser o caso aqui).

Aguardo agora o perfil do Escudo Negro no LinkedIn. Que título ele se dará? Senior Night Law Enforcer? 😉

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: