Homens castrados vivem 20 anos mais, aponta estudo

Homens castrados vivem 20 anos mais, aponta estudo

Rodrigo Martins

11 Outubro 2012 | 19h47

Um estudo feito na Coreia do Sul e publicado na revista científica Current Biology dá sinais de que homens com órgãos sexuais retirados conseguem viver cerca de 20 anos mais.

Os pesquisadores analisaram a vida de 81 eunucos que serviram à dinastia Chosun (que governou a Coreia entre 1392 e 1910) e compararam com homens de três família da época. Na época, a castração era um privilégio: os jovens faziam a operação para trabalhar no serviço público. Os eunucos também eram comuns no Egito (foto).

Resultado: enquanto os homens com família viviam em média de 50,9 a 55,6 anos, os eunucos morriam com 100, 101 e até 109 anos. “A incidência corrente de centenários é um para cada 3.500 no Japão e um por 4.400 nos Estados Unidos. Portanto, a incidência de centenários entre os eunucos coreanos é pelo menos 130 vezes maior do que em países desenvolvidos do presente”, escreveram no artigo.

Via Folha

Mais conteúdo sobre:

Coreia do SulFolha