1º. de janeiro cai sempre numa segunda-feira

Claudia Belfort

29 de dezembro de 2009 | 17h06

1º. de janeiro sempre cai numa segunda-feira. É isso mesmo. Não importa o ano, boa parte das pessoas encara essa data como a segunda-feira dos próximos 364 dias. Assim, como a segunda é o dia internacional da dieta, é no ano que vem que vou correr 10 quilômetros, parar de fumar, perder três quilos, beber menos, lembrar o aniversário da sogra e por aí vai. Tem gente que chega a fazer listinhas. Eu mesma já fiz, e, por uma dessas maravilhosas forças do destino, deixei-a no teto do carro enquanto arrumava as malas no bagageiro, nem percebi quando meus objetivos voaram naquela segunda-feira,  1º. de janeiro de um ano qualquer.

Como as minhas intenções de ano novo foram pelos ares não me senti obrigada a perseguir nenhuma delas. De fato, fiz companhia ao grupo dos que assumem uma meta não a alcançam ou a abandonam ao longo do caminho, a maiora. Segundo uma pesquisa desenvolvida por psicólogos britânicos da University of Hertfordshire apenas 25% das pessoas que fazem  promessas de ano novo, conseguem cumpri-las.  As demais, 75%,  apesar de seguirem tim-tim por tim-tim as receitas de gurus de autoajuda, falham. Pior,  desistir de uma meta estabelecida traz desânimo e mais desapontamento com as situações que se pretende mudar.

A pesquisa traz um alento a quem promete que no “ano que vem vai…”, entre as pessoas que se propuseram pequenas metas o índice de sucesso foi de 35%.

Para 2010, no lugar de fazer promessas, me inspirei na canção So many stars (Sarah Vaughan – ouça) e penso em procurar os sonhos dos meus próximos anos (escrevi penso para não prometer, quem sabe funciona).

Feliz 2010, cheio de sonhos, estrelas e belas canções.

Volto dia 04 de janeiro.

So many stars – letra e tradução abaixo:

The dawn is filled with dreams
So many dreams which one is mine
One must be right for me
Which dream of all the dreams
When there’s a dream for every star
And there are oh so many stars
So many stars
The wind is filled with songs
So many songs, which one is mine
One must be right for me
Which song of all the songs
When there’s a song for every star
And there are oh so many stars
So many stars
Along the countless days
The endless nights
That I have searched
So many eyes, so many hearts, so many smiles
Which one to choose
Which way to go
How can I tell, how will I know
Out of oh so many stars
So many stars

(Tradução)

A madrugada está cheia de sonhos
tantos sonhos qual deles é o meu
Um deles deve ser o meu
Qual sonho entre todos os sonhos
quando há um sonho para cada estrela
E há tantas estrelas
tantas estrelas
O vento está cheio de canções
tantas canções, qual será a minha
uma delas deve ser a minha
Qual canção entre todas as canções
quando há uma canção para cada estrela
E há tantas estrelas
tantas estrelas
Por incontáveis dias
infinitas noites
que procurei
tantos olhos, tantos corações, tantos sorrisos
qual deles escolher
qual caminho seguir
Como posso dizer, como saberei
diante de tantas estrelas
tantas estrelas

Tudo o que sabemos sobre:

pesquisa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.