Me diga se isso não é loucura

Claudia Belfort

08 de dezembro de 2009 | 14h27

Faço uma pausa hoje para mudar um pouco de assunto. São Paulo está debaixo d´água. Os dois principais rios que cortam a cidade, Tietê e Pinheiros, transbordaram, provocando a interdição das marginais e de diversas pontes. A cidade teve 55 pontos de alagamento, sendo 35 intransitáveis, o trânsito sofreu com mais de 100 km de lentidão, falta de luz, desabamentos.

Eu dei sorte, fiquei apenas 1h no trânsito (colegas do jornal chegaram a ficar 4h parados), voltei para casa, larguei o carro e achei que de bicicleta seria mais fácil. Engano. Consegui me livrar dos carros, alguns parados havia 3 até 4 horas, mas tive de atravessar dois pontos de alagamento com água no meio da roda da bike.

Vi centenas de pessoas ilhadas, motoqueiros atônitos, filas de ônibus vazios esperando a água baixar. E o prefeito Gilberto Kassab (DEM) disse que a cidade não vivia um dia de caos. Ah, foi além, declarou em coletiva  que os resultados dos investimentos da prefeitura em relação a chuvas na cidade começam a aparecer. Ele se referia aos piscinões dos rios Pirajussara e Aricanduva, que segundo o prefeito “tiveram um comportamento bom”. Acontece que os rios Tietê e Pinheiros se comportaram muito mal, para usar os termos de Kassab. Ainda assim, ele não viu caos.

Se isso não é caos, é o quê?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.