“Chama o Selton!”

Tutty Vasques

24 Março 2012 | 06h00

ilustração pojucanDilma Rousseff teve bons motivos para se reunir a portas fechadas com o ator Selton Mello em Brasília. Naquele mesmo dia, a presidente já havia debatido a desoneração de tributos com meio PIB brasileiro. Amanhã, ela terá que aturar o ministro Aldo Rebelo daqui até a Índia reclamando da Fifa. De vez em quando, todo mundo – presidente da República ou não – precisa de alguém como o Selton Mello pra jogar conversa fora!

Foi, salvo engano, a primeira vez que Dilma esteve com um artista que não lhe pediu a cabeça da ministra da Cultura. Selton Mello nem citou o nome da irmã do Chico! Falaram qualquer coisa genérica sobre ‘O Palhaço’, filme que ele foi apresentar no Cine Planalto, e vida que segue. À saída, a visita justificou aos jornalistas a falta de assuntos cabeludos no encontro: “A presidenta tem muita coisa pra fazer!”

Quase sempre coisa chata! Mesmo ontem, quando já não havia em Brasília praticamente ninguém da base aliada para aporrinhar, foi preciso inventar alguma coisa pra dizer ao presidente da República do Benin, Boni Yayi, que às 11h30 aguardava a colega sentadinho na antessala de seu gabinete no Planalto.

Quem dera o Selton Mello aparecesse mais vezes por lá, né?