15 segundos de terror!

Tutty Vasques

05 Junho 2012 | 00h02

ilustração pojucanDeve ser mais fácil vender plano de saúde ou cartão de crédito pelo telefone! Imagina quantas ligações um infeliz precisa dar imitando voz de criança chorando até pegar um pai que caia no golpe do falso sequestro de seu filho adolescente!

Hoje em dia, com toda divulgação de alertas para o trote ignóbil, os bandidos que praticam esse tipo de ardil têm que ter mais paciência que operadora de telemarketing para ouvir desaforos de quem já conhece a conversa fiada.

Eles merecem! Mandados praquele lugar por 99,99% dos importunados, os caras não se dão ao trabalho sequer de selecionar suas vítimas entre aqueles que têm filhos.
Basta constar da lista telefônica para correr o risco de ser acordado cedo no domingo com o moleque aos prantos do outro lado da linha te chamando de “pai”, pedindo socorro, dizendo que “eles estão armados”, aquele blábláblá que a gente conhece.

Quem já teve a oportunidade de despachar um desses cretinos com meia dúzia de palavrões sabe que a ação de terror nunca é totalmente em vão: por um instante que seja, a vítima sonada imagina seu filho no inferno!

Foram os 15 segundos de desespero mais longos da minha vida. Coisa que nenhum xingamento alivia!