A derrota do final feliz em pessoa!

Tutty Vasques

03 de julho de 2010 | 00h06

ILUSTRAÇÃO POJUCAN

ILUSTRAÇÃO POJUCAN

O Verissimo não tem nada que se culpar! Se o Júlio César atendeu os apelos do cronista para voltar a jogar todo de verde contra os holandeses, não quer dizer que, por isso, o goleiro tenha socado o ar no gol de cruzamento do Sneijder. Até porque, com ele naquela bola, subiu o Felipe Melo e, quando o ‘Dunga do Dunga’ está por perto, não precisa procurar culpado para nada de ruim que aconteça na vizinhança. O vilão é sempre do camisa 5.

         Já contra Portugal, ele precisou ser substituído para não acontecer o que ontem, mais uma vez, eram favas contadas: o cara seria expulso por agressão. Felipe Melo é a derrota do final feliz em pessoa! Dunga perdeu a oportunidade de reverter este carma, sacando o volante de campo quando ele deu aquele passe de Ganso para o gol de Robinho, aos 10 minutos do primeiro tempo. Se sua participação na Copa terminasse ali, já teria valido a pena a teimosia de levá-lo à África do Sul.

Alguma coisa mais sobrenatural que a Jabulani saiu dos pés de Felipe Melo quando ele meteu aquela bola de 40 metros à la Gerson, mas o Brasil preferiu achar que, num passe de terreiro, seus problemas acabaram. Quando, enfim, deixou o transe de craque e voltou a si, o vilão atingiu o clímax da expulsão que todos esperavam para o último ato.

O Verissimo, insisto, é inocente!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.