A entressafra da notícia

Tutty Vasques

24 de dezembro de 2009 | 09h23

É como tirar leite de pedra! O leitor provavelmente não imagina o trabalho que dá produzir jornal todos os dias nesta época de vacas magras na criação de notícias. A edição de amanhã vai estar, decerto, mais fininha que a de hoje, mas só Deus sabe a ginástica que se faz todo fim de ano nas redações para não faltar informação no café da manhã do assinante.

 Sem o Congresso, a bolsa de valores ou competições esportivas para reportar, restam aos jornalistas o corre-corre de última hora nos shoppings, a chuva de papel picado, o movimento nas estradas, a previsão do tempo, as peladas beneficentes e as retrospectivas previamente preparadas, além da imensa torcida para que uma grande tragédia não transforme o tédio da apuração em supremo esforço de reportagem.

Antes que o pior aconteça – como, aliás, é comum entre o Natal e o Réveillon -, estou saindo de férias, mas deixo aqui esta homenagem aos colegas de plantão. Pense neles quando ler o jornal nos próximos dias. 

Texto publicado no caderno Cidades/Metrópole desta quinta-feira no Estadão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.