A frente fria e o El Niño

Tutty Vasques

10 de abril de 2010 | 09h30

Dilma Rousseff parece que estava adivinhando quando foi dizer pessoalmente ao Garotinho na segunda-feira, em Brasília, que não iria no sábado ao lançamento da pré-candidatura do ex-governador que quer voltar a sê-lo. Imagina ela desembarcando hoje no Rio para ir à festa do marido da Rosinha! Ia sujar toda a barra do vestido de lama!

         E ainda corria o risco de ser cobrada nas ruas por sua cota de participação nas más notícias que desabaram sobre o Estado durante a semana. Corre entre os sobreviventes do Leblon a versão de que o temporal começou, não por acaso, logo depois do encontro aqui já mencionado da ex-ministra com o fenômeno El Niño da política carioca.

         A aliança logo ganhou o apelido de Zona de Convergência Intertropical, expressão que os Meteorologistas citam a torto e a direito para explicar as tragédias consumadas.

         Claro que, confusão de más notícias à parte, a aproximação entre Dilma e Garotinho nada tem a ver diretamente com as chuvas, mas só depois de enterrar seus mortos o Rio vai avaliar os estragos que o encontro deles já provocou na candidatura dela.

Uma coisa de cada vez!