A Garanhuns dos Balcãs

Tutty Vasques

04 Outubro 2011 | 02h30

ilustração pojucanTal qual aquela prima de uma tia esquecida que vê sua tábua de salvação na parente distante e bem de vida recém-chegada de longe para conhecer a terra natal do pai, a Bulgária recebe Dilma Rousseff hoje de braços abertos.

Gabrovo, como diz o Lula, “é a Garanhuns da Dilma”! A exemplo do que aconteceu com o ex-presidente no berço de sua família após as eleições de 2002, todo búlgaro hoje em dia se sente meio-irmão da filha brasileira do conterrâneo Pedro Rousseff – que Deus o tenha!

Dilma sai para o abraço já no desembarque em Sófia e, até depois de amanhã, quando chega à cidadezinha do pai, vai ter batucada, missa em ação de graças, uísque com cerveja e outras milongas mais, como a rakia, uma aguardente de uva típica da região.

Os búlgaros estão sinceramente felizes com a presença tão ilustre, mas lá pelas tantas da festa não será possível esconder da visitante que a situação nos Balcãs não é menos triste que a do Agreste pernambucano.

É aí que mora o perigo!

Parente morando longe em dificuldade é uma coisa que parte o coração de qualquer brasileiro. A gente vai acabar dando uma forcinha pros búlgaros – quer apostar?