A marolinha da nevasca

Tutty Vasques

21 de dezembro de 2010 | 06h21

bjsdgrjTem lá seu charme! Imagina chegar com seis horas de atraso a Uberlândia (MG), procedente de Vitória (ES), por causa de uma nevasca na Grã-Bretanha! De carona no caos aéreo europeu, o Brasil ensaia culpar o inverno de lá pelo inferno nos aeroportos daqui. Não deixa de ser um conforto para o passageiro de vôos domésticos saber que talvez precise dormir na sala de embarque por causa do mau tempo em Paris ou Berlim, sei lá!

“Senhoras e senhores, devido ao acúmulo de neve na pista do Charles de Gaulle, o vôo para Salvador, que sairia do Tom Jobim às 19h30, foi cancelado!” A Infraero devia, inclusive, baixar a temperatura ambiente do ar condicionado em suas instalações País afora para dar mais veracidade à satisfação que se presta.

Nosso caos aéreo só é pior que os do primeiro mundo porque lá, nesta época do ano, tem a desculpa da neve a olhos vistos. Aqui, especula-se sobre overbooking, operação tartaruga, incompetência, crescimento da classe média, falta de avião, de piloto, de vergonha na cara…

Nas asas do aquecimento global, periga o inverno europeu chegar em boa hora pra acalmar o pessoal em Cumbica. Tomara, né?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.