A porralouquice do impeachment

A porralouquice do impeachment

Tutty Vasques

01 de setembro de 2008 | 10h43

reprodução

Sobre a ameaça da oposição de pedir o impeachment de Lula por causa da escuta telefônica no gabinete do presidente do STF, é bom lembrar que a conversa grampeada do ministro Gilmar Mendes com o senador Demóstenes Torres dizia respeito justamente a este tipo de “pourralouquice”, como definiu o político do DEM-GO no diálogo interceptado (transcrito abaixo):

Gilmar Mendes – Oi, Demóstenes, tudo bem? Muito obrigado pelas suas declarações.
Demóstenes Torres – Que isso, Gilmar. Esse pessoal está maluco? Impeachment? Isso é coisa para bandido, não para o presidente do Supremo. Podem até discordar do julgado, mas impeachment…
Gilmar – Querem fazer tudo contra a lei, Demóstenes, só pelo gosto…
Demóstenes – (…) Felizmente, não tem ninguém aqui que embarcou nessa “porralouquice”. Se houver mesmo este pedido, não anda um milímetro. Não tem sentido.
Gilmar – Obrigado.

Lula deverá ter o mesmíssimo diálogo com o primeiro líder da oposição com tamanha sensatez. Peralá, né não?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.