A utopia do trânsito livre!

Tutty Vasques

25 Agosto 2012 | 00h02

reproduçãoÉ cedo ainda para se alimentar sonhos com um mundo sem engarrafamentos, mas na primeira voltinha que deu nesta última quarta-feira pela superfície de Marte, o veículo-robô Curiosity encontrou condições de trânsito invejáveis para qualquer terráqueo atormentado com as dificuldades de ir e vir em nosso planeta.

Pelos 15 minutos de imagens colhidas em movimento e transmitidas para a Terra, afora a fartura de buracos, tudo que se encontra pelo caminho livre de congestionamentos no Planeta Vermelho é muito diferente daqui.

Lá não existem, por exemplo, postos de pedágio, blitz da lei seca, quebra-molas, radar, marcianinhos fazendo malabarismos ou vendendo balas em cruzamentos, animais na pista, nada disso.

Parece mentira, mas – a não ser que, justo na hora do passeio do Curiosity, estivessem todos em greve ou trancados em casa assistindo ao julgamento de algum mensalão extraterrestre na TV – não existem manobreiros ou flanelinhas em Marte.

O pessoal da Nasa está encantado! As chances de vida inteligente num lugar assim são, convenhamos, sempre maiores. Não tem nada mais estúpido que uma civilização retida no trânsito.