A vida sem oioioi

Tutty Vasques

04 Agosto 2012 | 06h48

reproduçãoA primeira semana foi dureza! A torcida brasileira chegou a Londres nos momentos decisivos da disputa entre Carminha e Nina pela liderança de audiência em ‘Avenida Brasil’ e, pelo menos quem não dispunha de acesso à internet e intimidade com o YouTube, ficou inteiramente órfão da novela no Reino Unido.

Superado o pior da crise de abstinência – houve casos de pesadelos medonhos com as protagonistas –, a brasileirada vai aos poucos descobrindo a beleza da vida sem oioioi.

Dia desses, no vaivém sobre a faixa de pedestre celebrizada pelos Beatles, entreouviu-se em bom português na esquina mais turística da Abbey Road: “Como é mesmo aquela musiquinha de abertura da novela?”

Quando, enfim, o torcedor ligar o nome Suelen tão-somente à pessoa da brasileira grandalhona do judô, a torcida verde-amarela estará reabilitada da dependência de um certo tipo de informação que é uma droga no Brasil.

Mesmo quem não assiste novela, começa a se sentir melhor na segunda semana fora do País sem qualquer notícia do julgamento do mensalão e da CPI do Cachoeira.

Só por isso, convenhamos, já teria valido a pena atravessar o oceano para curtir a Olimpíada de Londres.