A volta da euforia!

Tutty Vasques

16 Novembro 2011 | 06h09

ilustração pojucanSó se fala disso na TV Globo: Galvão Bueno está de novo feliz, contando piada pelos corredores da emissora. Parece um menino na hora do cafezinho: a brincadeira de cutucar pelas costas o ombro do vizinho e disfarçar para não ser flagrado pela vítima da molecagem é sua preferida.

Não tem mulher no meio, não! O locutor teria recuperado a alegria de viver após sua estreia em narração de lutas do UFC Combate. Dizem até que a Globo comprou os direitos de transmissão da pancadaria só para tirar Galvão da depressão.

O que antigamente parecia um sonho – trabalhar só em dias de jogo da seleção e corrida de F1 – virou castigo para um locutor que tem como marca registrada o estilo de chefe de torcida do Brasil.

Cá pra nós, dá para se empolgar com o Massa ou o time do Mano? Vibrar com o Rubinho ou com o Hulk?

Na madrugada de domingo, durou pouco mais de 1 minuto de euforia a luta que deu ao brasileiro Júnior Cigano o cinturão dos pesos pesados e devolveu a Galvão Bueno o prazer de gritar: “Acabou, acaboouuu, acabooouuuu…!”

Aquilo lavou a alma do amigo dos amigos da Globo! Nem a chatice de narrar anteontem aquele melancólico Brasil 2 x 0 Egito tirou o humor do cara.