A volta dos que não foram

Tutty Vasques

01 de fevereiro de 2014 | 06h03

reproduçãoFaltam dois ou três dias para o contribuinte conferir com seus próprios olhos no noticiário de Brasília o resultado do investimento que fez no implante capilar do Renan Calheiros. O senador já até ressarciu R$ 27 mil aos cofres públicos pelo uso de avião da FAB no procedimento realizado em Recife, mas todo brasileiro se sente agora meio dono daquela penugem em seu cocuruto.

Não é a única expectativa que cerca o fim do recesso no Congresso. Espera-se, por exemplo, uma performance memorável de Eduardo Suplicy explicando como foi que desmascarou o malandro que tentou lhe aplicar nas férias o ‘golpe do celular’. O senador estaria, inclusive, compondo um rap para a ocasião.

A nova tintura de cabelo do Agripino Maia, o retoque no botox do Álvaro Dias, o crescimento da barriga do Cândido Vaccarezza e o encolhimento de Ideli Salvatti no governo também estarão na ordem do dia nos bastidores do parlamento. No mais, será aquela mesma chatice de sempre.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: