A voz das ruas

Tutty Vasques

19 Outubro 2012 | 00h02

ilustração pojucanA sociedade precisa agora fazer sua parte! Se a ideia da oficialização da gazeta às segundas e sextas-feiras na Câmara dos Deputados é liberar o parlamentar para ouvir o cidadão nas ruas de seu domicílio eleitoral, todo brasileiro tem obrigação de dizer o que pensa quando esbarrar com seu representante no Congresso batendo perna longe de Brasília no primeiro ou no último dia útil da semana: “Vai trabalhar, vagabundo!”

Sem gritos, por favor, para não parecer mais um desses espasmos de indignação nacional. Esse papo de “basta!”, como se sabe, não cola com políticos. Ou, depois de tantas exclamações contra tudo-isso-que-aí-está, eles não teriam a cara-de-pau de legitimar o que na prática já acontece: três sessões ordinárias por semana, e não se fala mais nisso!

É o tipo de provocação que o eleitor não deve aceitar passivamente, mas muito cuidado para não ficar enchendo a paciência de amigos e parentes com sua reação instintiva a mais esta afronta.

Aproveita o tempo livre concedido aos deputados em suas bases para dizer-lhes ao pé do ouvido o que pensa a respeito: eles vão acabar abrindo mão dos dias de folga só para evitar te encontrar!