Abaixo a gritaria!

Tutty Vasques

06 Outubro 2011 | 06h23

ilustração pojucanSei lá qual foi a última celebridade pop a se apresentar na Bulgária, mas a recepção a Dilma Rousseff em Sófia só não foi tão calorosa quanto a de Justin Bieber no Rio porque as adolescentes de lá ainda não descobriram que prazer é este de berrar feito doida à medida que se aproximam de visitantes famosos.

Aqui no Brasil, isso está virando um problema sério: a gritaria começou na semana passada com Neymar & Cia de passagem por Belém e, depois de amanhã, troca o Rio por São Paulo no rastro do cantor teen canadense em turnê pelo País.

O estado de histeria das meninas é tal que elas ficam sem palavras quando lhes dão oportunidade de falar o que sentem pelo ídolo: Aaaaaaaahhhhhh!!! – arranham a garganta em coro nos telejornais.

Os velhos de cabeça feita dirão que a garotada já se manifestava desse jeito mundo afora na época dos Beatles, mas, convenhamos, nos anos 1960 não havia Twitter, Orkut, Facebook, iPhone, Skipe, iPad, Msn e tantas outras ferramentas de comunicação tão simples quanto o grito primal.

Será que um dia ainda vamos sentir saudades do tempo em que o conteúdo dessa turma cabia em até 140 toques?

Aaaaaahhhh!!!