As núpcias de Tremembé

As núpcias de Tremembé

Tutty Vasques

29 Outubro 2014 | 06h23

A gente sai da eleição louco para mudar de assunto, mas logo na primeira espiada pra fora do noticiário político se depara com coisas que não passam pela cabeça nem do Aguinaldo Silva quando quer dar o que falar na novela das 9. Por exemplo: Suzane von Richthofen, célebre assassina dos pais, casou-se na cadeia com uma sequestradora que terminou relação estável com detenta que esquartejou o marido para dividir cela com a ex-parceira dos irmãos Cravinhos.

 

Fosse trama de novela, diriam que o autor está querendo destruir a família no horário nobre do jantar. A história homoafetiva na carceragem não teria o mesmo impacto na mídia se tivesse como protagonistas três presas comuns – em cana por furto, abandono de incapaz ou maus tratos a idoso –, mas o destino caprichou na escolha de crimes bárbaros no enredo dessa história de amor bandido.

 

Só falta o ex-médico Roger Abdelmassih, vizinho em Tremembé, presentear o casal de pombinhas com seus serviços de gravidez assistida.