Assim Carminha a humanidade

Tutty Vasques

21 Julho 2012 | 06h58

divulgaçãoNão há nada de errado com quem não sabe quem é Rita ou Carminha! Não assistir novela é um direito constitucional de todo brasileiro, tal qual ficar calado em CPI ou nunca mais ouvir aquela canção do Roberto, baby!

Quem não quiser ver, vai em frente, mas é preciso também respeitar os amigos que por esses dias andam recusando convite para jantar, voltando mais cedo pra casa, perdendo jogo de seu time na TV a cabo, tirando o telefone do gancho depois do ‘Jornal Nacional’…

Os rounds decisivos no confronto entre as personagens de Débora Falabella e Adriana Esteves em ‘Avenida Brasil’ têm sido, para quem gosta de pancadaria, muito mais impactantes que a última luta de Anderson Silva com aquele canastrão americano do UFC – com a vantagem de que a novela das 9 não tem narração de Galvão Bueno.

Tem gente que adiou viagem ao exterior para não perder o capítulo em que Carminha promete finalizar a rival – e vice-versa.

Em algumas casas de família, até o cachorro da família toma seu posto diante da TV ao primeiro ‘oioioi’ da vinheta de abertura da novela.

Se você não sabe o que é isso, sinto muito! Como diria Glória Maria, “não dá para descrever”!