Barack Osama

Tutty Vasques

04 de maio de 2011 | 00h02

ddrdrAgora que a Inês é morta, muita gente se pergunta que diabos os EUA faziam no Afeganistão, se o inimigo estava há 5 anos no Paquistão. Ora, bolas! Os americanos, como se sabe, nunca foram bons em geografia. Bombardeariam Buenos Aires se a guerra fosse com o Brasil! Dizem, inclusive, que a CIA apoiou o golpe militar no Chile crente que estava fazendo um bem à Bolívia. Qualquer lugar fora da América, para eles, é o fim do mundo!

Não é de hoje que somos todos iguais perante Washington, a novidade no noticiário sobre a morte de Bin Laden é a confusão que andam fazendo entre Obama e Osama até nos grandes telejornais dos EUA. A Fox News, por exemplo, anunciou em “breaking news” de rede nacional a morte de “Obama Bin Laden”.

Em defesa dos americanos, no caso, deve-se dizer que a troca de nomes entre quem morreu e quem mandou matar derrubou os meios de comunicação em todo mundo. A BBC foi taxativa: “Obama dead”. Na ‘Globonews’, foram tantos os vacilos ao vivo que a fofa da Maria Beltrão deu à mancada o devido tratamento de piada pronta em seu ‘Estúdio i”.

Não é todo Dia, afinal, que se pode rir da morte de alguém.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: