Barbie-Lula

Tutty Vasques

04 de abril de 2009 | 10h18

Precisa tomar muito cuidado para não virar bibelô, chaveirinho ou brinquedo na imaginação da opinião pública. Na dureza da crise, o mundo anda tão carente de uma coisa fofa que todo dia elege alguém para brincar de boneca. Destaque nesta semana para as barbies Michelle, Elizabeth II, Obama e Lula nos bastidores da reunião do G-20.

A primeira-dama, a rainha e os presidentes mencionados a rigor nada fizeram de especial em Londres para merecer tantos mimos, mas, donos de personalidades surpreendentes, renovam o gosto pela brincadeira no ser humano que não acha mais graça em nada – aí incluídos o Gordon Brown e a Angela Merkel, naturalmente.

Lula leva sobre todos os outros a vantagem de ser o cara preferido do Obama, mas ontem, finalmente, entrou em cena no noticiário uma concorrente à altura: Carla Bruni recebendo Michelle Obama em Estrasburgo, fala sério, não dá vontade de brincar de médico?

Texto publicado no caderno Cidades/Metrópole deste sábado no ‘Estadão’

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.