Reino das feias tem nova primeira-dama

Reino das feias tem nova primeira-dama

Tutty Vasques

26 de abril de 2009 | 09h39

ILUSTRAÇÃO POJUCAN

Camilla Parker Bowles (D) anda numa alegria de tirar o fôlego do príncipe Charles. Também, pudera! O YouTube transformou a escocesa Susan Boyle (E) – revelação de cantora num programa de calouros da TV britânica – na celebridade mais horrorosa do Reino Unido. Isso quer dizer o seguinte: o gênero mulher feia que deu certo, muito comum naquelas bandas do mundo, tem nova primeira-dama.

A sucessora da duquesa da Cornualha, definitivamente, não é só mais um rostinho desagradável num mar de gente feia. Aos 47 anos, Susan Boyle é gorda, descabelada, esquisita, tímida, desajeitada, brega, virgem e aparvalhada. Conta que na adolescência chegou a ser considerada retardada por conta dessa aparência assustadora. Tá na cara que ela não se depila. Suas sobrancelhas parecem um par de bigodes, o queixo é flácido e duplo, o conjunto da obra é um breve contra a luxúria de raro esplendor. Susan só não faz feio quando canta e isso foi o suficiente para comover mais de 100 milhões de seres humanos que foram visitá-la na Internet tomadas pelo deslumbramento de crianças no zoológico. “Pai, o urubu canta feito rouxinol!”

Em época de crise econômica, com todo mundo cheio de problemas, o sucesso de uma pessoa assim enche o fim do mundo de esperança. Yes, se até esse trubufu se deu bem, we can, claro que a gente pode. Nem que para isso seja preciso dar um tempo nas academias de ginástica, salões de beleza, butiques e alimentação balanceada… No momento, que me desculpem as bonitas, mas Susan Boyle é fundamental.

Texto publicado na coluna ‘Ambulatório da Notícia’ do caderno Aliás deste domingo no ‘Estadão’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.