Brigas imortais

Tutty Vasques

04 Junho 2013 | 06h05

ilustração pojucanA posse na semana que vem da escritora carioca Rosiska Darcy na vaga de Ledo Ivo na Academia Brasileira de Letras revela uma faceta pouco conhecida da imortalidade como ela é na Casa de Machado de Assis: os acadêmicos não levam desavenças internas para o túmulo!

Familiares do poeta alagoano enterrado desde dezembro no mausoléu da ABL já anunciaram que não vão à solenidade do dia 14 em protesto contra a escolha do também imortal Eduardo Portella, inimigo figadal do falecido, para mestre de cerimônia do ritual de passagem da cadeira 10 da Academia.

Difícil imaginar o tipo de homenagem reservada a Ledo Ivo, que nunca teve papas na língua sobre o orador: “Portella é um falso, a começar pela cabeleira tingida e aquela cara cheia de Botox!”

Certa vez, os dois só não saíram no tapa em festa de fardão porque foram contidos por outros velhinhos depois que o poeta jogou um copo de Coca-Cola em seu desafeto.

Mal comparando, briga de imortal faz a arenga de Lobão com Caetano parecer coisa de criança!