Brown expiatório

Tutty Vasques

29 Maio 2013 | 00h02

reproduçãoPra não dizer que não chutou o traseiro de ninguém no Brasil, a Fifa resolveu dar “un coup de pied aux fesses” do Carlinhos Brown. Coube ao governo brasileiro posicionar o músico baiano com as caxirolas voltadas para o pontapé da dona das copas.

Nada a favor do chocalho do inventor da Timbalada, mas quem agora o proíbe nos estádios são os mesmos que chancelaram a ideia maluca de criar a “vuvuzela brasileira” e, por conseguinte, a “ola sonora” imaginada pelo artista delirante.

A presidente Dilma chegou mesmo a acreditar que a caxirola tem “um sentido transcendental de cura em sintonia com a natureza e com todos os orixás”.

“É uma criação de genialidade”, assegurou a ministra da Cultura, Marta Suplicy, apostando que “vai ser uma marca do nosso futebol”.

De repente, mandam avisar que o troço está vetado porque a Fifa não permite instrumentos musicais na plateia de suas competições.

Se é assim, por que botaram tanta pilha no Carlinhos Brown? Cabe, no mínimo, ação por perdas e danos!