Cada um pro seu lado, juntos!

Tutty Vasques

10 Agosto 2011 | 06h20

ilustração pojucanDe Lula, em maio de 2008, sentando a pua nos critérios de avaliação das agências de classificação de risco: “Eu fico abismado de ver que o risco americano é zero. Tá numa crise desgraçada e não tem risco. Aumenta o risco do Brasil, o risco da Rússia, e os Estados Unidos, que estão entupidos em dívidas até aqui, é risco zero. É uma inversão das empresas que medem risco.”

De Dilma Rousseff, dia desses, reagindo à decisão da Standard & Poor’s de, enfim, atender o que Lula pregava já há 3 anos no Palácio do Planalto: “Queria deixar claro que não compartilhamos com a avaliação precipitada e um tanto quanto rápida, eu diria assim, não correta da agência que diminuiu o grau de valorização de crédito dos Estados Unidos.

Isso quer dizer o seguinte: é impressionante como o Brasil mudou e continua a mesma coisa, né não? Dilma e Lula têm nisso o mérito indiscutível de não discordarem mesmo quando pensam diferente. Não raro, um aponta para a direita, outro para a esquerda e seguem juntos em frente como se nunca restasse a menor dúvida sobre o caminho escolhido. Você acha que eles seguem algum script ou atuam de improviso?