Cala a boca, Obama!

Tutty Vasques

28 Março 2012 | 02h13

ilustração pojucanBarack Obama interrompeu sua volta olímpica na Coreia do Sul para desfazer o clima de já ganhou nas eleições americanas captado na segunda-feira por um microfone aberto em conversa reservada com o presidente Dmitri Medvedev.

Foi pego cochichando como presidente já reeleito dos Estados Unidos para propor ao colega russo que empurrassem esse papo de “escudo antimísseis” com a barriga para depois do pleito de novembro.

Pode muito bem alegar em defesa própria que qualquer um que tivesse o Partido Republicado como adversário daria a vitória como certa, mas sabe como são os eleitores americanos: em nome da segurança nacional, os caras renovaram o contrato de locação de George W. Bush na Casa Branca.

Não à toa, escaldado pela saia justa de véspera, Obama não abriu o bico para dizer nada que pudesse piorar sua situação no encontro de ontem com o presidente do Cazaquistão. Parece, entretanto, que andou piscando o olho várias vezes para Nursultan Nazarbayev nos momentos em que estiveram a sós na Cúpula de Segurança Nuclear, em Seul.

O pessoal de marketing do Partido Republicano vira noites à procura do flagrante nas câmeras de segurança do evento. A conferir!