Coisas de doido

Tutty Vasques

31 de maio de 2012 | 02h56

reproduçãoA rapaziada está confusa! Afinal de contas, o cara que no futuro cultivar maconha para consumo próprio valendo-se das mudanças no Código Penal poderá ser multado com base no novo Código Florestal quando cismar de queimar toda a plantação numa social com amigos?

Por dúvida das vias, já tem maconheiro politicamente correto por aí – os da USP e do Posto 9 de Ipanema, em especial – reservando parte da gaveta onde pretende plantar sua ervinha particular para implantação das chamadas Áreas de Preservação Permanente (APPs) com pés de orégano, manjericão, alecrim e outras espécies nativas da horta.

Não deve ser fácil para quem fuma esse troço – ô, raça! – acompanhar o debate legislativo frenético em curso no Congresso, com todas essas questões discutidas simultaneamente ao bate-boca político em destaque no noticiário.

Se careta já é difícil entender, imagina chapado!

O suposto conflito de códigos aqui relatado não faz, evidentemente, qualquer sentido, mas também não parece nada tão absurdo de se imaginar quanto o último encontro entre Lula e Gilmar Mendes em Brasília. Acho que estamos todos ficando doidos!

Sorte de quem consegue esquecer, né não?