Complexo do ziriguidum

Tutty Vasques

30 Novembro 2010 | 06h21

shshO Rio amanheceu cantando, mas precisa tomar muito cuidado para não deixar a momentânea supremacia do bem acabar em samba. Até porque, no gênero, não vai sair nada melhor que Juízo Final, do Nelson Cavaquinho: “O mal… será queimada a semente/O amor… será eterno novamente”. Por mais que o carioca queira ter olhos pra ver a maldade desaparecer, é cedo ainda para cantar vitória. A luta continua no purgatório da beleza e do caos!

A emoção com o triunfo no Complexo do Alemão subiu à cabeça dos marqueteiros da paz. A propaganda contaminou as redes sociais com a campanha ‘I love Rio’. Tem coisa mais caipira do que o plágio sem tradução do slogan da autoestima de Nova York? Tem, sim! Luana Piovani caminhou domingo pelo calçadão de Ipanema com a camiseta ‘Rio, we love you’. Como se o Alemão falasse inglês!

Gosto de quem gosta deste céu, desse mar, dessa gente feliz, mas antes que alguém do Viva Rio proponha à população dar as mãos para abraçar a cidade, todos de branco, ao som de Cidade Maravilhosa, convém conter o oba-oba próprio do DNA do balneário. O Rio de Janeiro continua sendo. Ponto, e basta!