Cor de burro quando acerta

Tutty Vasques

25 de junho de 2009 | 18h35

Dunga não repetiu a camisa do jogo contra a Itália, mas manteve a cor salmão no detalhe da camiseta que lhe servia de segunda pele à beira do gramado em Johanesburgo.

Nada mais explica a sorte do gol no finalzinho marcado pelo ala direito que o técnico lançou na lateral esquerda.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.