Danem-se os candidatos!

Tutty Vasques

06 Outubro 2012 | 06h51

reproduçãoDevo estar me repetindo com (e)leitores mais antigos – paciência! –, esta é uma história que se repete a cada dia de eleição para milhões de brasileiros como eu em todo o País. Não sei se é o seu caso, mas votar, pra mim, é voltar ao tempo em que eu e meu título de eleitor dividíamos o mesmo domicílio na cidade.

Mudei 10 vezes de endereço nos últimos 25 anos e, o que a princípio era só preguiça de trocar também de zona eleitoral, tomou forma de programa afetivo renovado a cada dois anos.

Tem gente que já é avô e até hoje vota perto da casa dos pais falecidos; casal divorciado fiel à mesma seção desde a lua-de-mel; aposentado que volta à escola onde se alfabetizou…

Eu vo(l)to no mesmo lugar desde meados dos anos 1980. Vou sempre a pé para não ir tornando aborrecidas pelo trânsito as boas lembranças que, quanto mais distantes, melhores ficam.

Faz parte do exercício da democracia pensar no que a gente andou fazendo – ou não – para melhorar a raça, apesar dos equívocos que todos cometemos na hora de votar.

Danem-se os candidatos: qual a sua promessa de campanha para os próximos dois anos? Em 2014 a gente volta ao assunto!