Deputado se jogou ou foi derrubado?

Tutty Vasques

21 Fevereiro 2014 | 06h37

ilustração pojucanComo aquele time que, sentindo-se injustiçado por uma série de cartões vermelhos, passa a cobrar do juiz mais rigor – e até os mesmos erros de julgamento – com o adversário, o PT nem precisou ver o replay da renúncia do tucano Eduardo Azeredo para acusar flagrante simulação na jogada: o ex-deputado teria se jogado para parecer que foi derrubado.

A torcida ajuda na pressão, pede o segundo amarelo, enquanto o suposto farsante valoriza seu sofrimento para se passar por vítima convincente. O jogo político no Brasil foi momentaneamente interrompido para que o ministro Luis Roberto Barroso, relator do mensalão tucano no STF, decida o que apitar neste lance crucial.

A metáfora esportiva se deve ao Fla x Flu da rivalidade estabelecida nas últimas duas décadas entre PT e PSDB, clássico dos milhões da política brasileira. Não importa para nenhum dos dois lados se a Justiça será feita no caso. Desde que prejudique o adversário… A propósito, que time é o teu?