Desconstruindo o verão

Tutty Vasques

20 de dezembro de 2008 | 11h01

Com expressão de andorinha molhada em fio de alta tensão, o brasileiro – especialmente a turma das regiões Sul e Sudeste – não faz a menor fé no verão que começa oficialmente amanhã às 10h04. Tem gente, inclusive, fazendo planos de estrear galocha nova neste domingo, não importa se pra ir à missa ou ao show da Madonna. Ninguém leva mais o Sol a sério.

Também, pudera! Quem começou o ano preocupado com a estiagem e a conseqüente ameaça de apagão, francamente, não acredita em mais nada. Faz sentido dizer que estamos entrando na “estação das chuvas”? Fala sério: em 2008, as águas de março caíram o ano inteiro, com dilúvios e pancadas esparsas de janeiro a dezembro. Graças a Deus foram poucos os feriadões.

A própria Meteorologia, constrangida, está prevendo um verão “sob neutralidade climática”, sem El Niño e La Niña. Isso quer dizer o seguinte: a Zona de Convergência do Atlântico Sul vai ser a grande vilã da estação. Afaste-se dela, se puder.

Texto publicado no caderno Metrópole/Cidades deste sábado no ‘Estadão’

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: