Deu a louca no bairrismo!

Tutty Vasques

30 Novembro 2011 | 02h18

ilustração pojucanDepois de exportar para estados vizinhos know-how em explosão de bueiros – desastre de bonde exigiria transferência de tecnologia mais complicada –, o Rio está investindo agora em batida de catamarãs. O carioca não sossega enquanto não fizer algo que não possa ser superado em São Paulo, e vice-versa.

O bairrismo, como se sabe, é cego a ponto de colocar em disputa até a capacidade de se produzir lambanças em larga escala nas duas maiores cidades do País.

Em matéria de bandalheira no Detran, por exemplo, a liderança momentânea de SP é indiscutível, e olha que a turma do Rio não é brinquedo, não!

Nos dois lados da ponte aérea mais badalada do País, cariocas e paulistas – ô, raças! – voltaram a surpreender esta semana torcendo uns pelos outros na reta final do Campeonato Brasileiro.

Dizem inclusive que, por esses dias, a torcida do Vasco em São Paulo é maior que a do Corinthians, que teria no Rio muito mais simpatizantes que o Flamengo.

Salvo raríssimas exceções, quem não é corintiano em SP torce para o Vasco ser campeão, título que, excetuando os vascaínos de berço, todo carioca deseja para o Timão.

Tomara que, no fim, vença o pior, né?