Devassa Bem Negra

Devassa Bem Negra

Tutty Vasques

04 de março de 2010 | 09h44

reproduçãoE se a cerveja fosse preta e sua garota-propaganda a Naomi Campbell, hein? Será que teriam, da mesma forma, tirado o comercial do ar? Provavelmente sim, mas duvido que sob o argumento de “campanha sexista e desrespeitosa à mulher” de maneira geral. Estaríamos agora falando de preconceito racial não fosse a Devassa em questão loura – Bem Loura. Ainda que involuntariamente, portanto, já que não há nada explicitamente libidinoso ou pornográfico naquele reclame de TV, o Conar pode estar tomando uma decisão pioneira em defesa dessas pobres coitadas, em especial as queridas louras-burras.

Vai levar ainda muito tempo até que elas sejam incluídas nas políticas de cotas para ingresso em universidades públicas, mas coincidiu esta semana de outro alento à causa chegar ao noticiário: a “lourinha peituda” que a Justiça mandou indenizar dia desses por ter sido assim tratada numa lanchonete carioca será lembrada no futuro – quando todas as mulheres forem iguais, independentemente da cor do cabelo – como mártir da luta racial que ora se inicia. Melhor ela que a Paris Hilton, né não?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: