Dez de dezembro

Tutty Vasques

10 de dezembro de 2011 | 06h06

reproduçãoÉ, decerto, mera coincidência: o Dia Internacional dos Direitos Humanos e o Dia Nacional do Palhaço ocupam por acaso a mesma página na folhinha. Até porque este palhaço que comemora sua data desde 1984 no mesmo dia que, em 1948, foi proclamada na ONU a Declaração Universal dos Direitos Humanos não tem nada a ver com aquele otário que todo brasileiro se sente quando vai reclamar seus direitos.

Seria até uma boa piada, mas o palhaço indignado com o ponto a que chegamos – marca registrada de qualquer manifestação contra tudo-isso-que-aí-está – não tem senso de humor para tanto. Tem mais a sensação de que estão se divertindo às suas custas, e não gosta disso: “Tá me achando com cara de palhaço?”

O palhaço que hoje está em festa no calendário tem DNA avesso a aborrecimentos, vem da linhagem de Arrelia, Chique-Chique, Pirolito, Piolim, Carambola, Teco-teco, Pipoca, Pimentão, Pimentinha, Picolino, Pingulin, Fred e Carequinha.

Em homenagem a eles, não deixe que nada estrague seu sábado. Surpreenda a quem lhe perguntar como vai: “Eu vou bem, muito bem, muito bem, bem, bem!” Tá certo ou não tá? Viva a palhaçada!