Dilma de cocar

Tutty Vasques

05 de junho de 2013 | 02h50

O Palácio do Planalto está dividido sobre a conveniência de um encontro de Dilma Rousseff com os povos indígenas, o primeiro do gênero desde sua posse.

A corrente contrária à pajelança alega que a clássica foto da autoridade de cocar prejudicará a imagem da presidente na mídia, detalhe que, na opinião de quem é a favor da cachimbada, pode dar a Dilma o empurrãozinho que falta para ela ultrapassar Angela Merkel no ranking de mulheres poderosas da revista ‘Forbes’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: