Dilma my dear!

Dilma my dear!

Tutty Vasques

30 Outubro 2014 | 06h14

A questão é: o que exatamente o vice Joe Biden disse a Obama sobre a Dilma para o presidente americano dar esse mole todo pra colega brasileira? Num dia manda mensagem, no outro telefona, já propôs a ela encontro bilateral na Cúpula do G20 na Austrália, jantar de gala na Casa Branca em 2015, quer “estreitar laços”, capaz de tê-la convidado à conexão na rede Linkedin. Nenhuma outra autoridade estrangeira – nem o presidente da Guiné Bissau – foi tão efusivo nos cumprimentos pela reeleição no Brasil.

 

Obama não entrou em detalhes sobre o relato de Joe Binden ao voltar da Copa no Brasil, mas fez questão de dizer de viva voz à presidente que gostaria muito de compartilhar no Salão Oval das mesmas “impressões muito positivas” com que seu vice saiu do Palácio do Planalto.

 

Para alguém com a cabeça ocupada pelas guerras contra o Estado Islâmico e o ebola, francamente, aí tem! O Chico Buarque, que não tem mesmo nada pra fazer, a gente até entende, mas o Obama, eu hein!