Distância regulamentar

Distância regulamentar

Tutty Vasques

18 Julho 2009 | 09h39

ilustração pojucan

O incansável Michel Temer fez a sua parte: passou o 14 de Julho em Paris e na quinta-feira já estava em Genebra, mergulhado em estudos sobre a transparência do Legislativo no século 21. Pronto pra outra, só não volta hoje mesmo ao Brasil para reassumir a presidência da Câmara dos Deputados porque, desgraçadamente, começou ontem o recesso parlamentar. Quem não esticaria a viagem, né?

Melhor assim! De correligionário por perto para inocentar José Sarney, francamente, já bastam os senadores Paulo Duque, Wellignton Salgado e Almeida Lima – uma espécie de Os Três Patetas do Conselho de Ética. Pior que todas as acusações que recaem sobre o presidente do Senado, tem sido mais penoso para ele resistir aos pronunciamentos em sua defesa. Não à toa, a ausência do amigo Temer foi providencial. O ideal seria que o Lula também tivesse passado a semana fora do País, mas não se pode querer tudo. Por ora, o silêncio do recesso vai ser bom pra todo mundo. Dê férias a sua indignação!

Texto publicado no caderno Cidades/Metrópole deste sábado no ‘Estadão’.