Ecologia de ostentação

Tutty Vasques

29 Março 2014 | 00h03

ilustração pojucanQuase tão desdenhada quanto o Dia Mundial Sem Automóvel, a Hora do Planeta que se anuncia para 20h30 deste sábado é mais uma dessas manifestações ecológicas que, pelo descaso coletivo, põe o dedo na ferida ambiental: o ser humano – ô, raça! – não está nem aí pro fim do mundo!

Com a proposta de um apagão voluntário em nome do futuro sustentável, a Hora do Planeta não consegue sequer baixar a audiência do ‘Jornal Nacional’ – o povo não se dá nem ao trabalho de desligar a TV e os ambientalistas, por sua vez, fingem que apagando a Torre Eiffel, o Kremlin, o Cristo Redentor e os letreiros do McDonald’s a natureza agradece!

É o que Tom Jobim chamava de “ecologia de ostentação”: às 20h30 de hoje, as redes sociais vão postar imagens de monumentos às escuras, casais jantando à luz de velas, ativistas no breu das tocas e todo mundo, mesmo quem só tomou conhecimento da Hora do Planeta pelo telejornal da noite, vai dormir com a consciência tranquila e o ar condicionado ligado!