Eike vontade de comprar tudo!

Eike vontade de comprar tudo!

Tutty Vasques

18 de outubro de 2009 | 09h27

ILUSTRAÇÃO POJUCAN

ILUSTRAÇÃO POJUCAN

Quando, enfim, todo brasileiro sair por aí com o nome Eike Batista gravado na coleira, Luma de Oliveira dirá com credencial de pioneira na prática de identificação do dono no pescoço: “Eu já sabia!” De fato, em 1998, quando chocou as feministas na Marquês de Sapucaí, a rainha de bateria já sabia que se casara com o homem que, depois do Bradesco, da Vale do Rio Doce, dos Fundos de Pensão, do Maranhão, de um pedaço da Bolívia e das Olimpíadas para o Rio, vai acabar comprando o Brasil. O empresário, que teria ambições ainda maiores, desconversa: “O futuro a Deus pertence!” – nada que lhe impeça de fazer uma proposta ao Senhor.

Mal comparando, nem Daniel Dantas em seus dias de glória botava tanto dinheiro pelo ladrão. Eike Vontade de Comprar, como é conhecido no mundo dos negócios, planeja investir 18 bilhões até 2012 em petróleo, energia elétrica, logística e mineração. Quando lhe dá na telha, põe dinheiro em cinema, restaurante, hotel, trem suspenso e o escambau. Se bobear, ele compra uma escola de samba pra ex-mulher. A Luma merece! Afinal, foi a primeira a perceber um Warren Buffet brasileiro naquele rapaz de Governador Valadares que queria ser o Paul Newman quando crescesse. Uma mulher dessa vale ouro, né não?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.