Espetáculo do crescimento 2

Tutty Vasques

26 de setembro de 2009 | 09h28

Logo na chegada das visitas a Pittsburgh, Barack Obama fez que não viu o gesto de Silvio Berlusconi sacudindo as duas mãos com os dedos unidos pelas pontas voltados para cima, como quem diz por cima dos ombros do anfitrião: “Fabulosa, lindona, coisa mais tchuque-tchuque do papai…”. Há mesmo, no caso, que se dar um bom desconto à fama de mulherengo do premiê italiano! Com todo respeito que a América merece, a primeira-dama Michelle Obama está, a olho nu, uns 10 cm mais alta desde a posse do marido – só se falava disso já na Assembleia-Geral da ONU, no meio da semana, em Nova York.

O espetáculo do crescimento ficou mais evidente quando Michelle sacou as escápulas naquele vestido de alcinhas com que recebeu dona Marisa Letícia para fotos no G-20. Covardia! A primeira-dama americana é um belo motivo para o ser humano dar de ombros para toda essa conversa de estadistas pra fim do mundo dormir. Vamos lá, sorria, hoje é sábado, caramba!

Texto publicado no caderno Cidades/Metrópole deste sábado no ‘Estadão’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.