Falta estômago até pra isso!

Tutty Vasques

29 Setembro 2010 | 06h44

lkhO político brasileiro mudou: não come mais como antigamente quando está em campanha! Nessas eleições, inclusive, o Alckmin não passou mal nenhuma vez. Em 2008, ele saiu de um corpo-a-corpo na padaria direto para a emergência do InCor, onde passou três dias com intoxicação alimentar. Em 2010, o próprio estômago do Serra só deu alteração no dia que foi em jejum conceder entrevista a Márcia Pertier na TV. Ninguém é de ferro e, no caso, o que deixou o candidato enjoado com a apresentadora foi a fome, não a necessidade de comer.

         Todos, de maneira geral, estão mais comedidos no hábito de conquistar o eleitor pela boca. Dia desses, Dilma foi no Rio à Feira de Nordestinos, não beliscou a buchada de bode, não provou o caldinho de mocotó e, nem por isso, foi denunciada pela oposição. Marina é outra que também não esconde de ninguém que sempre comeu feito passarinho.

         O eleitor já nem oferece nada quando recebe visita de candidato em casa, até para não criar constrangimentos ou cometer gafes. Muitos dos que estão por aí pedindo votos de porta em porta passaram por procedimento cirúrgico para a redução de apetite. Ou seja: nem eles têm mais estômago pra tanta xaropada!