Fatos irrerevantes que marcaram 2013

Tutty Vasques

27 de dezembro de 2013 | 06h21

•A presidente Dilma fissurou o dedão do pé no carnaval da Bahia;

•Zeca Pagodinho exagerou: “O carnaval morreu!”;

reproduçãoAloizio Mercadante esteve internado em Brasília com “apendagite epiplóica”.

•A rede americana de notícias CNN elegeu Daniela Mercury a “Madonna brasileira”;

•Ideli Salvatti deu a Aécio Neves o segundo pedaço de seu bolo de aniversário;

•Eric Clapton anunciou que vai pendurar a guitarra em 2016, dois anos após a aposentadoria de Justin Bieber;

•Pegaram a Paula Burlamaqui na blitz da Lei Seca no Rio;

•Gerald Thomas voltou ao noticiário enfiando a mão sob o microvestido da panicat Nicole Bahls;

•Hugo Chávez morreu sem realizar o sonho de superar o número de seguidores de Luciano Huck no Twitter;

ilustração pojucanBem que o pastor Marco Feliciano avisou: “Caetano Veloso tem um pacto com o diabo”;

•O cantor Fiuk deixou de ser “filhinho de papai” depois que passou a andar com MC Sapão e Rappin Hood;

•O ‘carro inteligente’ brasileiro atropelou Ana Maria Braga ao vivo no ‘Mais Você’;

•Pesquisadores japoneses relacionaram a calvície ao enfarte;

•Muito antes do implante de cabelo em Recife, Renan Calheiros tomou banho de lodo e sal num spa antiestresse de Gramado;

•A liberação da carteira de motorista de Thor Batista foi a grande vitória do advogado Márcio Thomaz Bastos nos tribunais em 2013;

•D. Odilo Scherer quase virou papa;

•Joaquim Barbosa tratou a imprensa pior que o Felipão;

•O ministro Guido Mantega trocou de assessor de imprensa;

reproduçãoChiquinho Scarpa não enterrou seu carrão no jardim de casa;

•A atriz Susana Vieira fez o Curso de Noivos da Igreja Católica;

•A presidente Dilma deu uma clareada nas suas lentes de contato;

•Cristiano Ronaldo ameaçou processar a “vice-miss Bumbum” do Brasil, Andressa Urach;

•Dilma Rousseff e Geraldo Alckmin dividiram Afif Domingos em regime de guarda compartilhada;

•Rogério Ceni foi a maior vítima de bullying nas redes sociais em 2013;

•OPIB brasileiro recuperou a certa altura o que os economistas chamam de ‘trajetória em U’;

•Luana Piovani se despediu do Twitter alegando não ter maturidade para usar a rede social;

•O deputado Protógenes Queiroz processou o ursinho Ted por atentado ao pudor e apologia às drogas no cinema;

•O apelo comovente de Dudu Braga, filho de Roberto Carlos, pelo respeito à privacidade do ‘Rei’: “Deixem meu pai fazer xixi de porta aberta em paz”;

•Promessa de campanha do prefeito carioca Eduardo Paes: “Se o Brasil perder para a Argentina na final da Copa do Mundo eu me mato!” (continua amanhã)

Tendências: