Fifa: que país é esse?

Tutty Vasques

31 de maio de 2011 | 06h50

wgqwgA gente reclama do Brasil, mas, em matéria de lambança política, convenhamos, a Fifa é insuperável. Nas eleições presidenciais de amanhã, a entidade comemora sua maior crise moral consagrando o quarto mandato de Joseph Blatter, absolvido sumariamente no último domingo da acusação de conivência com esquema de propina. O mesmo tribunal afastou do futebol o candidato da oposição, Mohamed bin Hamman, por compra de votos.

A gente reclama do Conselho de Ética do Senado, mas seus critérios de julgamento são extremamente rigorosos perto dos métodos do comitê responsável por impor limites ao vale-tudo na Fifa. O Sarney deles é, sem exageros, muito mais senhor da situação que o nosso.

A gente – ô, raça! – reclama da figura patética de nossos políticos em geral, mas só estando agora em Zurique pra ver o desfile de presidentes de federações de futebol dos quatro cantos do mundo. Muitos levaram toda a família para participar do circo eleitoral anunciado em manchete pelos jornais europeus. Nenhum deles está nem aí pra isso!

Enfim, a gente reclama da falta de seriedade do Brasil, mas a Fifa é o verdadeiro país do futebol.

Ou não?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: