Fifa quer Copa sem TV

Tutty Vasques

29 de junho de 2010 | 00h03

REPRODUÇÃO

REPRODUÇÃO

A Fifa tomou, enfim, uma atitude contra os erros grosseiros de arbitragem na Copa do Mundo: baniu o replay de lances polêmicos do telão dos estádios na África do Sul. Sabe, entretanto, que isso resolve só em parte o problema! O próximo passo deverá ser o veto ao tira-teima e à super-câmera lenta na transmissão dos jogos já nas quartas-de-final da competição.

Se nem assim deixarem a mãe do juiz em paz, restará ainda a possibilidade de proibir a presença da televisão nos estádios a partir das semifinais da Copa. No rádio, ninguém vê se a bola entrou mesmo ou se tinha alguém voltando da figura A para a figura B na cara do bandeirinha.

         Calma! A Fifa não tomará nenhuma medida extrema enquanto não avaliar as vantagens que, em contrapartida, a superexposição dos equívocos de arbitragem traz para a Copa do Mundo. Por exemplo: ninguém reclama mais da Jabulani desde que os juízes viraram a bola da vez na África do Sul. Só se fala deles!

Como não há falha pior que um gol mal anulado – ou validado em impedimento -, releva-se tudo mais que não parece muito certo em campo, aí incluídos os erros de passe, de pontaria, de marcação, de domínio de bola…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.