Fiquem onde estão!

Tutty Vasques

03 de novembro de 2013 | 06h35

O trauma do 11 de Setembro deu às autoridades americanas o direito de censurar toda e qualquer informação após incidentes que possam ter motivação terrorista nos EUA.

Dia desses, o mundo acompanhou na mais completa ignorância pelas redes de TV a história que, soube-se depois, era a de um atirador sem noção que resolveu tocar horror no aeroporto de Los Angeles.

Tudo muito parecido com o suspense criado há um mês em torno da mulher maluca fuzilada ao avançar com o carro sobre barreiras de segurança em Washington.

O pior é que, aparentemente, a imprensa tem achado isso normal!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.