Forças cegas da natureza!

Tutty Vasques

20 Junho 2012 | 00h11

ilustração pojucanNa hora não fez o menor sentido – ninguém xinga a mãe ou duvida da masculinidade do juiz no finalzinho do jogo quando se está ganhando –, mas, pensando bem, o que Luis Fabiano disse sem mais nem menos aos 40 minutos do segundo tempo é o que muita gente boa por aí anda com vontade de dizer em vários momentos da leitura dos jornais.

Motivo para soltar palavrões em série é o que não falta no noticiário, mas a gente se segura para não mandar o primeiro que aparecer pela frente praquele lugar por causa da aliança do Lula com o Maluf ou do afastamento do juiz que mandou prender o Cachoeira.

Mas o ‘Fabuloso’ é, como se sabe, uma espécie de força cega da natureza. Age como uma tempestade, não controla seus momentos de explosão e nem precisa ler jornal para ficar furioso com o que julga estar errado à sua frente.

Prejudicou o São Paulo no domingo com aquela meia dúzia de palavrões injustificáveis contra o árbitro, mas, convenhamos, faltou alguém assim ontem na Rio+20 para dizer umas boas verdades aos diplomatas responsáveis pelo fracasso colossal nos entendimentos para frear o fim do mundo!

Tanta papagaiada pra nada, francamente, só xingando, né não?